Como viajar pela América do Sul gastando pouco

02:59

Viajar gastando pouco é o sonho de 90% dos brasileiros, viajar gastando quase nada é o sonho dos outros 10%. Pois eu estou aqui, depois de meses sem postar nada para contar que é possível sim viajar gastando quase nada pela América do Sul. Inclusive é exatamente este o motivo do meu sumiço.
Dia 02 de agosto de 2017 viajei para Santiago, no Chile com a intenção de ficar 1 mês e depois continuar subindo pelos países latinos que cercam o Brasil. Nem eu sabia que seria tão fácil, hoje escrevo este post de Lima, no Peru e já estou com as passagens para Quito, no Equador, compradas!

Mas como é possível? Da onde eu tiro dinheiro, como faço com alimentação e hospedagem? São perguntas que chegam até mim diariamente no Facebook, Instagram, email e whatsapp.
A primeira coisa que você precisa ter em mente é que nada é de graça: se não for pago com dinheiro, será pago com seu tempo e trabalho, o que é ótimo, pois essas experiências nos ensinam a ser mais humildes e a olhar as situações adversas com mais positividade. Uma viagem dessas demanda tempo e 100% de dedicação. Claro que é sempre bom ter uma reserva na conta para garantir qualquer contratempo, mas vamos às dicas.

1 – Use o worldpackers
O app mais maravilhoso do mundo e, na minha opinião, um dos maiores facilitadores de viagens dos últimos tempos. Se você ainda não conhece (em que mundo você vive?), trate de baixar agora e começar a buscar hostels para trabalhar no país que você sempre sonhou em conhecer. Funciona assim: você paga uma taxa anual de 49 dólares – é uma única vez no ano – e tem acesso a todas as oportunidades de trabalho voluntários de todos os hostels do mundo inteiro. Esses trabalhos que você vai executar nos hostels variam um pouco, mas em geral são de limpeza, recepção, lavanderia, barmen, ajudante de cozinha, etc. e em troca você ganha a hospedagem totalmente grátis e, ás vezes, até um café da manhã. Além de conhecer um monte de gente bacana você ainda não paga para se hospedar. Eu já usei em diversos lugares e nunca tive problema, pelo contrário, sempre me surpreendia positivamente em cada um deles, sem contar que geralmente são poucas horas de trabalho e sobra um tempão para conhecer e explorar a cidade.
2 – Busque passagens de ônibus
Okay, eu fui para o Chile de avião, mas depois disso me apaixonei pelas looongas viagens de ônibus por três motivos:
a) São ridiculamente mais baratas, mesmo os assentos de “primeira classe”. Sim, esses ônibus de fazem viagens de mil horas (como o de Santiago a Arica que foram 28h) possuem assentos especiais, serviço de bordo, e muita comodidade).
b) O serviço de bordo geralmente é muito bom, te dão comidinhas e snacks o tempo todo, além de ótimas opções de filmes. Alguns ônibus possuem uma tv em cada assento, como em aviões mesmo.
c) O ônibus já é minha segunda casa. Eu posso ficar tranquilamente durante horas dentro do ônibus, dormindo, pensando, jogando, etc. nem me estressa mais, estou super acostumada.

Até agora foram 63 horas dentro de vários ônibus (Se quiser saber a rota que fiz/estou fazendo, veja esse post). Sem contar que viajar durante vários dias ainda economiza na hospedagem. Mas se você quiser descansar em uma cama de vez em quando, pode reservar um quarto pelo AirBnb, encontramos um em Arequipa, por exemplo, por apenas 20 dólares!

3 – Use o Rome2Rio
Esse site é um grande aliado de quem quer se locomover da forma mais barata/prática.
Basta você colocar onde está e onde quer chegar e ele vai te mostrar a melhor rota, as opções (como avião, ônibus, carona, etc), estimativa super fiel de valores e onde você pode comprar as passagens. Recomendo fazer a pesquisa pelo site usando um computador que é incrivelmente mais fácil, porque o aplicativo ainda precisa melhorar um pouco.
4 – Procure oportunidades de trabalho
Eu disse que viajar gastando quase nada era fácil, mas demandava tempo e dedicação. Já que vai ficar um tempo em algum outro país, por que não encontrar um trabalho que te agrade? Desde garçonete/garçom, até vendedora de tours, que foi o que eu fiz em Santiago. Era um trabalho relativamente fácil – só precisava saber explicar cada tour – e pagavam bem, pois era com base em comissão, ou seja, eu ganhava dinheiro se eu me dedicasse nas vendas.

Aqui no Peru, tanto em Cusco quanto em Lima, o que eu mais vi foram cartazes de bares e lojas contratando gente. Só não fui atrás porque sabia que ia ficar pouco tempo por aqui, mas a intenção é encontrar algo assim que chegar à Colômbia. Quem sabe servir drinks na areia de Cartagena ou ser uma garçonete num Irish Pub com decoração de Natal? São experiências que eu não vejo a hora de viver para poder contar aqui para vocês!
Depois dessas dicas eu tenho certeza que o bichinho da viagem está gritando na sua cabeça e dizendo para largar tudo e ser por ai explorando! E por que não? Foi assim comigo e com muita gente que conheci pelo caminho. Tenho tanta história linda para contar, tantas fotos incríveis para compartilhar... Gostaria que todos pudessem ter a oportunidade e a coragem de viver essa experiência, pois são momentos que transformam quem somos e como enxergamos o mundo e as pessoas ao nosso redor.

Espero que tenham gostado das dicas e que as coloquem em prática o quanto antes. Se tiverem mais alguma dica, não deixem de contar nos comentários. Ah, e nesse post aqui estou contando detalhadamente a rota que fiz para percorrer toda a América do Sul de ônibus!

Acho que você vai gostar:

0 | Comente!

Tecnologia do Blogger.

Fotos do Instagram