Dia nacional da pessoa com deficiência visual - Livro: De Olhos Bem Abertos

18:25


De acordo com dados do IBGE (2015), 6,2% da população brasileira tem algum tipo de deficiência auditiva, visual, física ou intelectual. Dentre as deficiências, a visual é a mais representativa e atinge 3,6% dos brasileiros, sendo que o grau intenso ou muito intenso da limitação impossibilita 16% dos deficientes visuais realizarem atividades habituais como ir à escola, trabalhar e brincar.

Hoje, 13 de dezembro, é comemorado o dia nacional da pessoa com deficiência visual. O Brasil já avançou muito no modo como trata pessoas portadoras de deficiência, mas precisa melhorar muito mais. Com o intuito de promover uma educação inclusiva de apoio ao direito fundamental de igualdade e solidariedade dentro na sociedade, sem discriminação e distinção de qualquer nível, a Editora do Brasil tem constantemente abordado temas como inserção social. Entre os destaques da temática do deficiente visual, a editora oferece a obra “De olhos bem abertos”, da paulista Telma Guimarães.
O livro conta a história da adolescente Raquel, jovem que não gostava de nada nela mesma e se achava a menina mais feia da classe — e não adiantava nem tentar dizer o contrário. Numa ida ao consultório da dentista, após descobrir uma cárie, Raquel conhece um menino levado e muito especial que tinha ido ao mesmo prédio para colocar próteses oculares. A garota se encanta com a esperteza e a alegria que Rafael demonstra, mesmo tendo deficiência visual. Raquel acaba descobrindo dentro de si uma vontade enorme de ajudar pessoas com o mesmo problema do menino e, assim, passa a gostar mais de si mesma.
Telma conta que profissionais da educação ainda têm dificuldades para inserir pessoas com deficiências no ambiente escolar “O olhar de pena de um colega de classe, a indiferença, tudo incomoda. Precisamos integrar as pessoas com deficiência em toda atividade, seja física,  escolar, social”.
Segundo ela, a leitura de obras conscientizadoras e que levam à reflexão é uma boa saída para educar os jovens sobre a importância da inclusão social pois os adolescentes e as crianças que têm necessidades especiais se sentem contemplados ao ler livros em que os personagens são como eles. “Nos tornamos melhores aceitando as nossas e as diferenças dos outros. Precisamos evoluir dia a dia e a leitura leva a reflexão, ao debate, e isso é bom!”

Ao todo são oito títulos nesta coleção: Um teatro diferente; No mundo da lua; Mingau e o pinheiro torto; Sem açúcar, com afeto; Conquista Esporte Clube; Os invencíveis; Para sempre criança; De olhos bem abertos.

Sobre a autora
A paulista Telma Guimarães nasceu em Marília e vive atualmente em Campinas (SP). Formada em Letras Vernáculas e Inglês pela Universidade de São Paulo (Unesp), foi professora de língua inglesa na rede estadual de Campinas de 1979 a 1995. Foi cronista do jornal Correio Popular e publicou seus primeiros livros infantis em 1988. No ano seguinte, conquistou o Prêmio de Melhor Autora em Literatura Infantil da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA). Desde então, já publicou mais de 170 títulos entre infantis e juvenis, em português, inglês e espanhol.

Acho que você vai gostar:

0 | Comente!

Tecnologia do Blogger.

Fotos do Instagram