O que é o luto?

09:28

Muito conhecido como o sofrimento decorrente de uma perda, o luto tem estágios e pode ser apresentado em situações diferentes. Sim, existem outras formas de vivenciá-lo, não necessariamente apenas mediante a uma situação de morte.

Como todos sabem, a morte é um fenômeno que faz parte do processo de desenvolvimento físico, cessando as atividades orgânicas. Sendo assim, todos estamos sujeitos a lidar com ela, através  da perda de um ente querido ou alguém que seja próximo e que nos represente algo e a partir daí é que se dá o luto.

Pode ser dividido em 5 estágios: negação, raiva, barganha, depressão e por fim aceitação. Durante os diferentes estágios do processo, existem sentimentos variados, como já se diz no segundo estágio, a raiva, tristeza, sentimento de vazio, dificuldade em se concentrar, nervosismo, sensação de estar fora do ar, impressão de que a qualquer momento pode ficar louco, achar que nada no mundo tem mais graça ou sentido e saudade. 
É um processo doloroso, porém, necessário para o ser humano, pois é preciso que tenhamos mecanismos para lidar com perdas, e somente perdendo é possível vivenciar e encontrar a melhor forma de lidar com a situação.

O luto não é vivenciado apenas em adultos as crianças também sofrem, elas são capazes de entender a perda, apesar de algumas vezes não compreenderem o real significado da morte, porém, notam a movimentação e as consequências da morte de alguém próximo. É importante dizer a verdade, claro, que de uma forma que a criança possa entender, e fazer com que ela saiba que aquela pessoa já não volta mais, pois assim é mais fácil compreender a situação, sem precisar fantasiar ou sentir-se abandonado pela pessoa que morreu.  

A intensidade e duração do luto varia de acordo com a relação/ligação que se tinha com a pessoa falecida, idade tanto do enlutado quanto da pessoa que se foi, circunstâncias da morte, dentre outro fatores...
Geralmente, os 6 primeiros meses após a perda, são de muito sofrimento, caracterizado por choro e tristeza. Após este período, existe uma melhora, ocorrendo maior aceitação, sendo ele (luto) considerado normal até 12 meses. É possível, e também muito natural, ocorrer recaídas em certas datas ou mediante a lembranças repentinas.
Após o período de 12 meses, caso a pessoa não consiga retomar sua vida, sofra intensamente e não seja capaz elaborar o luto, este é considerado patológico e exige tratamento.

Como citei logo no início, para a surpresa de muitos, o luto que, popularmente, está relacionado com a morte,  também pode se manisfestar mediante ao término de um relacionamento, o enceramento de uma fase boa da vida, fim de uma viagem que foi muito planejada e esperada, perda do emprego, morte de um animal de estimação, separações na família, mudança de casa, cidade ou país. Este luto ocorre pois as situações representam perdas e todas envolvem sentimentos, investimento de energia e lembranças, sendo assim, também é preciso um tempo para que seja elaborado e os sintomas são os mesmos de quem perde um ente querido, pois, para cada um, essas situações tem um significado diferente em suas vidas.
Para lidar com o luto é preciso estar ciente a respeito da perda e vivenciar cada estágio. É comum que as pessoas que se encontram neste processo, falem muito a respeito, aliás, existem momentos em que a dor é tão grande que, sem se dar conta, só sabem falar sobre a perda e a dor, e isso é muito importante. Portanto, quando estiverem lidando com uma pessoa em processo de luto, é essencial permitir que a pessoa se expresse, sem ser reprimida.

Em caso de luto patológico, familiares e amigos devem estar atentos pois é possível que o enlutado não se dê conta da situação em que se encontra e não busque ajuda, então é aconselhável procurar um profissional para auxiliar no processo.

E ai, tem algum assunto relacionado à psicologia qu você gostaria de saber? Manda pra gente: nathaliageneroso@hotmail.com.

Jéssica Storti Cirino
Psicóloga - CRP: 06/119524

Acho que você vai gostar:

0 | Comente!

Tecnologia do Blogger.

Fotos do Instagram