Complexos de Édipo e Electra

12:40

Atendendo a um pedido de uma leitora querida, vou tentar falar de forma resumida sobre os famosos complexos de Édipo e Electra. Digo resumida por ser um assunto extenso onde muito se fala a favor e contra, e faz parte de uma linha antiga que deu origem à Psicologia, que é a psicanálise. São poucas as discussões modernas sobre o assunto, justamente por ser uma teoria antiga que e que foge um pouco da linha seguida por mim, a Cognitiva Comportamental, portanto, falarei de forma simplificada.
Para Freud, os complexos de Édipo e Electra são inatos ao ser humano, e todos passam por ele quando crianças. Segundo a psicanálise, o complexo se manifesta na segunda infância (entre três e cinco anos de idade) que é quando a criança passa a ter uma forte identificação com os genitores.
O complexo de Édipo, apresentado pelos meninos, ocorre na fase de desenvolvimento fálico, juntamente com o desenvolvimento do ego e da libido. Os meninos passam a ter uma forte ligação com a mãe, direcionando sua libido para ela, sendo assim, voltam para o pai o sentimento de rivalidade e ciúme, pois o pai é quem separa ele de sua mãe, objeto amado por ele. Porém, mesmo desejando possuir a mãe, através do Ego que está em formação, o menino se conscientiza de que o genitor é de certa forma mais forte que ele e então teme a castração, pois o falo (pênis) significa poder, e ser castrado tiraria todo poder que o menino possui. Ao se deparar com o medo da castração, o menino passa a ter maior afinidade com o pai, tendo em vista que o pai ocupa um lugar diferente na vida da mãe e é mais forte que ele.

Já no complexo de Electra, apresentado pelas meninas, em tese, os princípios são muito semelhantes aos do complexo de Édipo, porém, a menina enfrenta a angústia do complexo de castração. No complexo de castração, a menina percebe que não possui um falo, que é percebido como poder pelas crianças, e ao perceber que não possui tal poder, se iguala a mãe, pois ambas não o possuem, então a mãe não apresenta qualquer ameaça para ela.

Para Freud, esse desejo apresentado na infância é apenas uma busca de prazer que não envolve a sexualidade para reprodução e nada tem a ver com o ato sexual, esse investimento de libido vai além, e envolve muitos fatores desenvolvidos na infância, na sexualidade na infância. Como já citei logo no início, este é um assunto complexo e que foge à minha linha, portanto, indico algumas leituras para quem se interessar e quiser se aprofundar no assunto.

Livro: Três Ensaios sobre a Teoria da Sexualidade - Sigmund Freud (1905);
Artigo sobre o complexo de Édipo;
Vídeo atual -  Introdução sobre psicanálise e as Teorias da Sexualidade;



Acho que você vai gostar:

0 | Comente!

Tecnologia do Blogger.

Fotos do Instagram