Espetáculo teatral "Carícias"

17:30

"A peça aborda a falta tempo das pessoas hoje em dia, principalmente em meio à tanta tecnologia, a falta de comunicação, a incapacidade das pessoas se amarem e serem amadas, de fingirem perante a sociedade uma vida de aparências. A peça retrata a falta te atenção, amor próprio, os vícios, a falta de relação pessoal com os outros e consigo mesmo. O texto, escrito em 1991 pelo catalão Sergi Belbel, está sendo encenado pela Cia de teatro Lado B, com direção e cenografia do paulistano Mauro Júnior".

Ficha técnica
Peça: Carícias
Texto: Sergi Belbel;
Tradução: Christiane Jatahy;
Direção, cenografia, iluminação e trilha sonora pesquisada: Mauro Júnior;
Elenco e figurinos: Aline Luz Martini, Charles Ferlete dos Santos, Eduardo Messias dos Santos Amaral, Estefani Abiaquila da Silva Almeida, Ieda Menani de Souza, Jander Uilian Machado, Kaique Silva Caetano, Luís Fernando Rodrigues de Andrade, Monalisa Carolina Hilário Vitório, Patrick Rodolfo Leal, Raquel Marques Tozi, Renan Semolini Rodrigues, Verônica Ornelas Arimizu e Vinícius Vieira Forato;
Trilha sonora original: Paulo Fernandes e Gabriel Stavare;
Arte gráfica: Tiago Leal;
Fotos: Leo Eyed;
Elenco de Apoio: Edson Oliveira, Eraldo Henrique Santos, Karla Marques, Leandro Candido e Thais Caldato;
Produção: Cia de Teatro Lado B
Os assuntos mais pertinentes abordados pela peça são aqueles tabus da sociedade antiga, trazidos para os dias de hoje. Na primeira cena, pro exemplo, a incompatibilidade da vida de um casal que finge a felicidade, o respeito e o amor. Já na segunda cena, os alunos do curso de teatro do Senac mostram o desapego da família, o ressentimento, os abusos  e as marcas que a convivência trás. As outras cenas apresentam ao público o ‘ser diferente do padrão normal exigido pela sociedade’,  o homossexualidade, aborto, mentira, traição, vaidade. Além de drogas, prostituição, loucura, etc.
Achei o cenário bem adequado, com um ar de cinismo, de terror, tensão e em alguns momentos até cômico. Figurino também estava bem reproduzido, remetendo à personalidade de cada personagem.
Não conheço todos os atores envolvidos, mas no geral, acredito que eles poderiam ter abusado um pouco mais da interpretação, exaltar, enlouquecer. Algumas cenas exigiam muito da especulação de certo personagem, mesmo aqueles sem pudores, deixaram transparecer um certo incômodo perante aos espectadores. Em geral, o recado foi muito bem passado. Minha dica é: assista à peça no próximo dia 30 de agosto e tire suas próprias conclusões. Você não vai se arrepender.
Serviço
Dia: 30 de agosto, 
Horário: 20h,
Local: Teatro Municipal Castro Alves, (Araçatuba)
Dentro da 11ª Mostra Senac de Artes Cênicas. Os convites serão disponibilizados uma hora antes do início do espetáculo, na portaria do Teatro.

- Fotos de Leo Eyed.

Acho que você vai gostar:

0 | Comente!

Tecnologia do Blogger.

Fotos do Instagram