O que fazer em Cartagena – Guia completo

Cartagena de Índias é um dos destinos mais procurados pelos brasileiros em épocas de calor e férias, ou seja, em dezembro, janeiro e fevereiro pode ter certeza que você vai encontrar muita gente falando português por aqui.

Completando quase um mês vivendo nesta cidade que quase não tem variação climática (é sempre muito calor por aqui), resolvi fazer esse post para ajudar quem está buscando mais informações sobre dicas de turismo, cuidados, alimentação, hospedagem, etc.

Se você vem de avião, o melhor é pousar em Bogotá e seguir de ônibus até Cartagena, são muito mais barato. Mas se você vem de ônibus, recomendo passar por Cali e Medellin também, são duas cidades colombianas igualmente encantadoras e cheias de atrações!

Hospedagem em Cartagena

Para saber onde se hospedar é preciso levar em consideração o seu perfil de viajante: se você curte mais festas, noites animadas e ruas cheias, com certeza deve buscar um hotel, apartamento ou hostel no centro histórico, conhecido como Cidade Amurallada, que é onde se concentra as principais atrações turísticas do lugar. Outra região que fica logo ao lado do centro histórico e também é bastante agitada é Getsemani, bairro onde os escravos viviam na época colonial e é onde está concentrada a região boêmia da cidade, com vários bares, restaurantes e lojas para todos os bolsos e gostos, além de muita cultura!
Se você prefere mais tranquilidade, pode optar por um alojamento na região de Bocagrande, que é onde estão as praias mais bonitas (onde se pode banhar) e também os prédios comerciais e residenciais mais impressionantes da cidade. É, sem dúvida, a parte mais rica de Cartagena, por isso, encontrar um hotel com bons preços pode ser um pouco mais difícil nesta região.
Eu fiquei em dois hostels: Coccoloba, que não recomendo e Music Hostel, que fica do ladinho da cidade amuralhada e tem um terraço com bar e é incrível (onde estou atualmente).

Sempre uso e recomendo o Booking para reservar, tem os melhores preços e você ainda pode participar de um programa de recompensas e do genius, onde você pode ganhar drinks de boas vindas, transfer gratuito e até late checkout!

Praias de Cartagena

Cartagena em si não tem muitas praias lindas, nem aquela agua cristalina que vemos nas fotos, essas praias estão localizadas ao redor, um pouco mais longe e também nas ilhas próximas onde, geralmente, os turistas compram tours para passar o dia ai. Mas estes tours, como o de Baru, por exemplo, são super caros e super valorizados, se você quer saber como ir a Baru por conta própria e gastar menos da metade do que te cobram um tour, leia este post.

As praias dentro de Cartagena que mais compensam a vista estão em Bocagrande, Castillogrande e E Laguito, que são a pontinha da cidade, onde é possível chegar com os ônibus coletivos que custam $ 2.200,00 pesos colombianos (R$2,36).

Alimentação e água em Cartagena

A melhor maneira de se alimentar em Cartagena sem dúvida é comprando o máximo possível nos mercados, comidas prontas nas ruas são um pouco suspeitas e restaurantes são bem caros. O supermercado mais barato e que está por quase toda a cidade é o Exito, lá vendem comidas prontas também, como cachorro quente, frango assado, salada de frutas, etc. aproveite para comprar sua água também no mercado, o Exito tem sua própria marca de água que custa $ 850 pesos colombianos o litro (R$ 0,90) e é muito boa. Na rua, você vai comprar uma água de 600ml por, no mínimo $ 2.000,00 colombianos (R$ 2,14) – Eu já vi venderem por $ 4.000,00 (R$ 4,28) uma garrafinha num quiosque de praia.
A única coisa que comprei na rua e não me arrependi, foi o copo de limonada que vendem dentro da muralha. São senhores com um carrinho e um ~aquário~ cheio de limonada geladinha... Pode parecer estranho e anti higiênico quando você ver, mas já tomei duas vezes e não tive problemas, aliás, é uma ótima opção quando você estiver desfalecendo de tanto caminhar nesse sol escaldante. Compre e depois me agradeça.

Segurança em Cartagena

Me senti super segura em todos os lugares que fui. A cidade é cheia de guardas civis e é proibido beber na rua. Sempre tenha seu documento com você, ouvi dizer que alguns policiais se aproveitam dos turistas que não estão com documento para tirar dinheiro deles.
Fora isso, em geral é bem tranquilo, vi turistas caminhando com a câmera pendurada no pescoço, celular, etc. Aliás os cartageneiros são pessoas incríveis, super receptivos, com um humor parecido com o do brasileiros e muito, mas muito felizes! Mas é sempre bom ter cuidado, afinal, nunca sabemos como realmente são as coisas.

Pontos turísticos de Cartagena

Cartagena de Índias nasceu dentro de uma muralha, onde os mais ricos costumavam viver, e depois foi se expandindo para fora. Ai dentro, na própria cidade amuralhada estão concentradas as principais atividades turísticas, igrejas e casas coloniais, praças e museus, ate a universidade fica ali dentro. Você vai perceber que -quase- todas as sacadas são hiper decoradas, isso porque todos os anos, a prefeitura premia a melhor sacada com isenção de impostos, isso faz com que a cidade esteja sempre linda e bem cuidada.
Você também pode caminhar SOBRE a muralha, (é permitido) existem rampas e escadas para te levar até a parte de cima, onde estão os canhões e a vista mais linda! Aliás, uma das atividades mais divertidas aqui é sentar na muralha mais ou menos às 17h e esperar pelo pôr do sol, um espetáculo diário que atrai centenas de pessoas, por isso, é importante chegar cedo para garantir um bom lugar!
Fora da muralha também tem bastante coisa legal para fazer, como os enormes centros comerciais e o Castelo de San Felipe de Barajas, um forte que foi construído em 1657 pelos espanhóis para proteger a cidade de outros invasores durante o período de colonização.
O mais legal é que a construção é cheia de passagens secretas e tuneis onde se pode caminhar e sentir-se como neste século! A entrada do castelo custa $25.000 (R$ 26,77) e o melhor é pegar um ônibus até lá – não se engane pela curta distância, o caminho é árduo e faz muito, mas muito calor! Minha dica é ir bem cedinho, para pegar um sol mais leve, já que boa parte do castelo se sobe por escadas que estão do lado de fora. Nunca esqueça sua água e o protetor solar.

Clima de Cartagena

Pode parecer exagero, mas eu nunca estive em um lugar tão quente e tão úmido na minha vida. A média aqui é sempre de 30 graus para cima, o ano todo já que está localizado no centro do planeta – praticamente não existe inverno! A água do mar do Caribe também é quentinha: em média está entre 25 e 28 graus, tem gente que reclama, pois prefere uma água mais fria, mas eu amo, assim posso ficar o dia todo dentro.

Também existem várias atividades que podem ser feitas na praia como snorkeling, banana boat, kitesurf, surf e muito mais. Ainda não fiz nenhuma dessas, mas assim que fizer, venho contar para vocês os detalhes de como funciona!

Minha última dica é: sempre negocie! Como é uma região que vive 100% da prática turística, os preços podem ser abusivos. Por isso, geralmente, se negociar um pouco, pode conseguir valores muitos mais baixos – isso serve desde lojas de artesanatos até taxis!

E se você viaja de mochilão ou fazendo voluntariado, pode contar com meu código promocional do Worldpackers e garantir U$ 10 dólares de desconto de presente na hora do seu cadastro anual: #WPNATHALIA (tudo maiúsculo). Para saber mais sobre o que é e como funciona, acesse esse post aqui.


Quero manter esse post sempre atualizado, então se tiver alguma dúvida, deixa aqui nos comentários ou me envia um email (nathaliageneroso@hotmail.com), ficarei muito feliz em poder ajudar!

Worldpackers: o que é e como usar + código de desconto

Quem me acompanha pelo Instagram viu que agora o Worldpackers é parceiro real/oficial desse mochilão que estou fazendo. Sempre falei do app pelas redes sociais e também aqui no blog porque uso ele desde o começo e realmente gosto do serviço e do suporte que eles oferecem, então sempre os indiquei, de coração mesmo.

Para quem ainda não conhece, o WP é uma plataforma onde viajantes podem encontrar hostels do mundo todo que precisem de voluntários para trabalhar por dias, semanas ou até meses.
Funciona assim: você se inscreve no app (iOS ou Android) e ai já pode buscar hostels na cidade ou país que deseja viajar. Em geral são trabalhos como recepcionista, limpeza, lavanderia, manutenção, redes sociais e fotografia, e muito mais! Aí você escolhe de acordo com o que tenha mais a ver com seu perfil e pronto! Trabalha algumas horas por dia (geralmente é bem tranquilo) e em troca, não paga a hospedagem e pode curtir um montão! As vezes rola até um café da manhã incluso nesse pacote. Sem contar que em geral, baladas e tours saem muito mais barato - e as vezes na faixa -  para quem trabalha e vive em hostel. Demais, né?
Eu venho vivendo assim há 5 meses e poderia seguir fazendo isso o resto da minha vida! Principalmente agora que sou Embaixadora Worldpackers, o que quer dizer que, junto com outros embaixadores espalhados pelo mundo, temos a missão de transformar cada vez mais a vida das pessoas através de viagens e experiências incríveis! Para isso, tenho um código para meus leitores com um desconto especial (U$ 10 dólares) na hora do cadastro. Vocês pagam apenas U$ 39 dólares e pode usar o app por um ano, viajando e não gastando absolutamente nada com hospedagem! Mara, hein?

Então aproveita e cria sua conta agora com o código #WPNATHALIA


Depois me conta para onde vai ser seu primeiro mochilão!

De onde tiro dinheiro para viajar tanto?



Uma das coisas que mais me perguntam depois de quatro meses viajando é “de onde eu tiro dinheiro para viajar tanto?”. A verdade é que a gente tem que fazer alguns sacrifícios se quer ter esse tipo de vida, mas eu vim aqui hoje para contar que vale muito a pena!
Eu não “larguei tudo” para viajar, como muitos dizem fazer hihi. Na verdade eu sempre trabalhei remotamente, ou em home office, se preferir chamar assim. Então eu aproveitei essa oportunidade que minha profissão me deu e trouxe o trabalho comigo para as viagens, ou seja, eu nunca parei de trabalhar, na verdade eu passei a trabalhar mais.

Trabalhar mais porque eu viajo com Worldpackers, que significa que eu trabalho como “voluntária” nos hostels que eu me hospedo em troca de não pagar a hospedagem e isso é sensacional.  Às vezes rola até um café da manhã na faixa! ;) (Use meu código para ganhar U$ 10 dólares na hora de se cadastrar! #WPNATHALIA)
Outra coisa que eu faço se vou ficar muito tempo em uma cidade específica é procurar outros tipos de trabalho: barista, bargirl, guia local, recepcionista, vendedora de tours... já fiz várias coisas nesses quatro meses e me orgulho de cada uma delas.

Para facilitar minha rotina de trabalho, - afinal eu vou para um lugar para poder explorá-lo o máximo possível e não apenas ficar trabalhando todo o tempo – eu uso alguns recursos que me ajudam muito, especialmente no meu trabalho como design e social media. Um desses recursos é o app Canva, que comecei a usar desde quando foi lançado há alguns anos e pude ver a evolução da qualidade do serviço que ele oferece. Com o app (e no website também) qualquer pessoa pode criar lindos designs para serem utilizados das mais diversas plataformas sociais como Facebook, Instagram, Youtube, etc. aliás, ele já oferece os formatos para essas plataformas, basta escolher o seu e editar como melhor te convém. Me salva muitas horas de trabalho! 

Outra coisa que não abro mão e que, para mim, faz toda a diferença na hora de organizar meu dia é ter uma rotina, por mais bobo que possa parecer, descobri que o ser humano (ou pelo menos eu) precisa de uma rotina - mínima que seja -  para que o cérebro entenda que é hora de trabalhar, hora de comer, hora de disfrutar da cidade, etc. Por exemplo, eu nunca dispenso um café da manhã reforçado: torradas, ovos mexidos, café e leite... O momento do preparo é como se estivesse avisando meu cérebro que o dia está começando e colocando em ordem todas as atividades do dia.

Vocês também são assim?
Então é isso. Eu não sou rica, viajo economizando o máximo possível todos os dias, trabalho (muito) mais do que trabalhava no Brasil, só dependo de mim e estou crescendo como pessoa a cada dia, a cada experiência!


Claro que estou nessa vida de mochileira há apenas quatro meses e ainda tenho muito para a aprender. Sei que muita gente quer viver assim, mas boa parte não está disposta a fazer sacrifícios para isso. E eu adoraria que houvesse mais pessoas para compartilhar esse tipo de experiência, então, se vocês gostam de dicas assim, me avisem que posso escrever mais sobre isso!


Beijinhos.

Beleza em férias: cuidados com a pele em viagens de verão

Sair de férias significa tirar um tempo para esquecer da rotina turbulenta e relaxar o máximo possível. Enquanto alguns preferem usar esse tempo para viajar, conhecer lugares novos e diferentes culturas, outros apenas escolhem passar o tempo em frente ao mar. Mas o que muita gente acaba esquecendo em ambos os casos é que sair de férias não significa abandonar os cuidados com a saúde e beleza, e mesmo estando longe de casa é preciso, e possível, arrumar um tempinho para cuidar de si.
Atenção especial no calor

Dependendo do destino escolhido, alguns procedimentos básicos como esfoliar a pele, limpá-la e hidratá-la após o banho são mais que suficientes. No entanto se for para um lugar frio ou muito quente há algumas especificidades a ter em conta. Em viagens de verão, os cuidados com o sol devem ser redobrados.

Devido sua incidência mais direta, os raios UV apresentam um perigo a longo prazo (doenças como câncer de pele), e também o risco imediato de queimaduras após passar um dia inteiro “torrando” sob o sol. Além disso, quando as temperaturas estão muito altas, a chance de desidratação é bem grande! Sendo assim, é preciso tomar algumas precauções.

Arrumando as malas

Em uma viagem de verão em que o principal objetivo é relaxar e aproveitar os dias quentes devemos nos preocupar em levar alguns itens indispensáveis. Nesse caso o que não pode faltar na mala é: protetor solar, hidratante, esfoliante, lencinhos umedecidos, água termal e loção pós-sol. Esses produtos em conjunto manterão sua pele protegida e bonita.

Cuidados na piscina

Muitos que optam por passar as férias em lugares quentes consequentemente acabam abusando dos banhos de mar ou piscina, o que influencia diretamente na saúde da pele. As piscinas contêm uma grande quantidade grande cloro, que por ser um produto químico muito forte, pode causar algumas reações adversas como irritação e ressecamento. Portanto, logo após sair da piscina, tome imediatamente uma ducha seguida da aplicação de um hidratante.
Cuidados na praia

O sal do mar em contato com a areia e o sol podem causar um grande estrago na sua pele, portanto, sempre depois de nadar não deixe de tomar uma ducha de água doce. Ela evitará que sua pele fique irritada ou com vermelhidão.

A areia também costuma ficar bem quente nos dias de calor intenso, e quando em contato com alguma parte mais sensível do seu corpo, pode até causar queimaduras! Para evitar que isso aconteça, tenha sempre na bolsa um lenço umedecido, ele será muito útil para remover aquela areia indesejada.

Cuidados noturnos

Você não precisa de muito para manter a sua pele em ótimo estado mesmo em condições adversas e fora da sua rotina costumeira de beleza. Após um dia de diversão, reserve alguns minutinhos depois do banho para alguns tratamentos como esfoliar a pele e aplicar uma máscara renovadora de 1 a 3 vezes por semana.

Além de dar uma aparência de pele lisinha, também proporcionarão uma limpeza profunda. Como esfoliar a pele ainda elimina as células mortas, esse procedimento é perfeito para remover toda aquela pele descascada e manchas ocasionadas pelo sol.  A esfoliação ainda contribui para o bronzeado, pois deixa a pele mais receptiva e garante uma cor mais homogênea.

Depois basta fazer uma boa hidratação, especialmente pela perda de líquidos e ressecamento causados pelo sol, mar, piscina...E não pense que esse passo é desnecessário pois no calor sua pele já fica com a impressão de estar mais oleosa. Se não for devidamente hidratada, nosso organismo produzirá mais sebo para manter os níveis de umidade da pele, deixando-a mais engordurada! Então escolha uma loção leve e com substâncias calmantes (camomila e aloe-vera), para aliviar os efeitos do sol.
Me queimei, e agora?

Muitas vezes acabamos exagerando no tempo que ficamos expostos ao sol, ou o protetor acaba perdendo o efeito depois de algum tempo ou saindo após diversos banhos de mar. Por isso, sempre utilize um filtro com fator de proteção de no mínimo 30 e reaplique após toda vez que entrar na água, ou a cada 3 horas.

No entanto, se mesmo assim acabar toda vermelha e ardendo, faça o uso de uma água termal sob a pele afetada. Ela repõe os sais minerais perdidos, refresca e acalma a área queimada. Utilizar um creme pós-sol também ajuda a recuperar a pele, suavizando a inflamação e irritação, e deixando aquela sensação de frescor.

Renovando e mantendo o bronzeado

Para quem quer aproveitar e colocar o bronze em dia, alguns cuidados são de extrema importância para garantir um efeito bonito e dourado, mas sem prejudicar a saúde da pele. Assim, evite a utilização dos óleos bronzeadores, especialmente para quem já tem a pele mais oleosa. O uso desses produtos em geral deve ser reduzido e sempre feito em conjunto com filtro, senão pode acabar com queimaduras graves.

Procure fazer uma alimentação à base de bastante ingredientes antioxidantes e com betacaroteno, como a cenoura, a laranja, a couve, o espinafre e a acerola. Essa substância estimula a produção de melanina, pigmento que dá cor à pele. Além disso, esses alimentos reduzem a ação danosa dos radicais livres e ajudam a evitar o envelhecimento precoce da pele, especialmente as marcas de expressão e rugas causadas pelo sol.

Se quiser manter seu bronzeado por mais tempo, evite os banhos quentes e demorados, pois a alta temperatura da água removerá a oleosidade natural da pele e prejudicará a manutenção da cor. Também procure usar hidratantes que contenham vitaminas A, C e E na fórmula, que ajudam a manter o bronze por mais tempo e ainda contribuem para a produção de colágeno e no combate aos radicais livres, evitando aquela aparência esturricada de quem tomou bastante sol.

Se seguir esses cuidados e beber muita água certamente vai conseguir manter uma pele saudável e bonita. Pelo caminho, não se esqueça de aproveitar o melhor das suas férias. Quem sabe a gente não se encontra por aí?


Como viajar pela América do Sul gastando pouco

Viajar gastando pouco é o sonho de 90% dos brasileiros, viajar gastando quase nada é o sonho dos outros 10%. Pois eu estou aqui, depois de meses sem postar nada para contar que é possível sim viajar gastando quase nada pela América do Sul. Inclusive é exatamente este o motivo do meu sumiço.

Dia 02 de agosto de 2017 viajei para Santiago, no Chile com a intenção de ficar 1 mês e depois continuar subindo pelos países latinos que cercam o Brasil. Nem eu sabia que seria tão fácil, hoje escrevo este post de Lima, no Peru e já estou com as passagens para Quito, no Equador, compradas!

Mas como é possível? Da onde eu tiro dinheiro, como faço com alimentação e hospedagem? São perguntas que chegam até mim diariamente no Facebook, Instagram, email e whatsapp.
A primeira coisa que você precisa ter em mente é que nada é de graça: se não for pago com dinheiro, será pago com seu tempo e trabalho, o que é ótimo, pois essas experiências nos ensinam a ser mais humildes e a olhar as situações adversas com mais positividade. Uma viagem dessas demanda tempo e 100% de dedicação. Claro que é sempre bom ter uma reserva na conta para garantir qualquer contratempo, mas vamos às dicas.

1 – Use o worldpackers
O app mais maravilhoso do mundo e, na minha opinião, um dos maiores facilitadores de viagens dos últimos tempos. Se você ainda não conhece (em que mundo você vive?), trate de baixar agora e começar a buscar hostels para trabalhar no país que você sempre sonhou em conhecer. Funciona assim: você paga uma taxa anual de 49 dólares – é uma única vez no ano – e tem acesso a todas as oportunidades de trabalho voluntários de todos os hostels do mundo inteiro. Esses trabalhos que você vai executar nos hostels variam um pouco, mas em geral são de limpeza, recepção, lavanderia, barmen, ajudante de cozinha, etc. e em troca você ganha a hospedagem totalmente grátis e, ás vezes, até um café da manhã. Além de conhecer um monte de gente bacana você ainda não paga para se hospedar. Eu já usei em diversos lugares e nunca tive problema, pelo contrário, sempre me surpreendia positivamente em cada um deles, sem contar que geralmente são poucas horas de trabalho e sobra um tempão para conhecer e explorar a cidade.
2 – Busque passagens de ônibus
Okay, eu fui para o Chile de avião, mas depois disso me apaixonei pelas looongas viagens de ônibus por três motivos:
a) São ridiculamente mais baratas, mesmo os assentos de “primeira classe”. Sim, esses ônibus de fazem viagens de mil horas (como o de Santiago a Arica que foram 28h) possuem assentos especiais, serviço de bordo, e muita comodidade).
b) O serviço de bordo geralmente é muito bom, te dão comidinhas e snacks o tempo todo, além de ótimas opções de filmes. Alguns ônibus possuem uma tv em cada assento, como em aviões mesmo.
c) O ônibus já é minha segunda casa. Eu posso ficar tranquilamente durante horas dentro do ônibus, dormindo, pensando, jogando, etc. nem me estressa mais, estou super acostumada.

Até agora foram 63 horas dentro de vários ônibus (Se quiser saber a rota que fiz/estou fazendo, veja esse post). Sem contar que viajar durante vários dias ainda economiza na hospedagem. Mas se você quiser descansar em uma cama de vez em quando, pode reservar um quarto pelo AirBnb, encontramos um em Arequipa, por exemplo, por apenas 20 dólares!

3 – Use o Rome2Rio
Esse site é um grande aliado de quem quer se locomover da forma mais barata/prática.
Basta você colocar onde está e onde quer chegar e ele vai te mostrar a melhor rota, as opções (como avião, ônibus, carona, etc), estimativa super fiel de valores e onde você pode comprar as passagens. Recomendo fazer a pesquisa pelo site usando um computador que é incrivelmente mais fácil, porque o aplicativo ainda precisa melhorar um pouco.
4 – Procure oportunidades de trabalho
Eu disse que viajar gastando quase nada era fácil, mas demandava tempo e dedicação. Já que vai ficar um tempo em algum outro país, por que não encontrar um trabalho que te agrade? Desde garçonete/garçom, até vendedora de tours, que foi o que eu fiz em Santiago. Era um trabalho relativamente fácil – só precisava saber explicar cada tour – e pagavam bem, pois era com base em comissão, ou seja, eu ganhava dinheiro se eu me dedicasse nas vendas.

Aqui no Peru, tanto em Cusco quanto em Lima, o que eu mais vi foram cartazes de bares e lojas contratando gente. Só não fui atrás porque sabia que ia ficar pouco tempo por aqui, mas a intenção é encontrar algo assim que chegar à Colômbia. Quem sabe servir drinks na areia de Cartagena ou ser uma garçonete num Irish Pub com decoração de Natal? São experiências que eu não vejo a hora de viver para poder contar aqui para vocês!
Depois dessas dicas eu tenho certeza que o bichinho da viagem está gritando na sua cabeça e dizendo para largar tudo e ser por ai explorando! E por que não? Foi assim comigo e com muita gente que conheci pelo caminho. Tenho tanta história linda para contar, tantas fotos incríveis para compartilhar... Gostaria que todos pudessem ter a oportunidade e a coragem de viver essa experiência, pois são momentos que transformam quem somos e como enxergamos o mundo e as pessoas ao nosso redor.

Espero que tenham gostado das dicas e que as coloquem em prática o quanto antes. Se tiverem mais alguma dica, não deixem de contar nos comentários. Ah, e nesse post aqui estou contando detalhadamente a rota que fiz para percorrer toda a América do Sul de ônibus!
Tecnologia do Blogger.

Fotos do Instagram